Penumbra


Vagueio confusa
perco-me na penumbra dos sentidos
limito-me a respirar, sem afogar
sem razão nem sorriso
deixo-me perturbar pelos zunidos da solidão
nos ecos de ti, vivos em mim.
Ainda existo nas folhas que voam
no branco nas palavras a cortar emoções
apanho lágrimas com as mãos
guardo a seiva doce das lembranças
que me percorrem e alimentam
a escorrerem nos eternos largos sonhos
Maria Thereza Neves

This entry was posted on and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

2 Responses to “Penumbra”

Maria disse...

Belíssima imagem, como te recordo nos momentos das nossas conversas, quando te soltas e ficas assim sensual e linda...és um must darlingue.
Beijitos
Maria

Alma Nova disse...

Lindoooo! Uma bela imagem para um belo e nostálgico poema! Jokitas.

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *