Relações Descartáveis

Quem tem olhos para o mundo e ainda sabe Sentir não pode deixar de se indignar e repudiar tudo o que se vê e ouve...e o que se adivinha em meias palavras e gestos dissimulados.
Hoje vive-se no momento, pelo momento e para o momento. Tudo o que exige alguma espera ou qualquer esforço suplementar é posto de lado. As pessoas deixaram de saber investir nos seus sentimentos e nos dos outros, já não se preservam quaisquer valores, o Amor confunde-se com tesão e mera atracção física. Age-se pelo instinto animal e esquece-se a condição de Ser Humano.
Ficam perdidos na memória os sonhos, a empatia, a aproximação, a descoberta do/a parceiro/a e, a cada novo dia, o construir uma relação baseada em respeito, carinho, compreensão, dignidade, honestidade...enfim, em tudo aquilo que transforma qualquer união numa realidade de vida que vale a pena desfrutar.
Os “machos” parecem sentir-se impelidos ao sexo imediato e “fogem” do que quer que seja que traga uma simples lembrança de intimidade. O dividir espaços e partilhar corações está longe dos seus horizontes, o individualismo vem em primeiro lugar.
As “fêmeas”, perdidas neste novo mundo das “relações descartáveis”, encantam-se com todas as facilidades que sabem antigamente serem proibidas e deixam de valorizar o sexo como acto de Amor.
Perdeu-se a magia, o encantamento do toque, o acelarar do coração só pela expectativa do “acontecer”. Um beijo tornou-se banal, já não serve de transporte para um mundo diferente, em que as línguas trocam sabores já conhecidos e sempre os apreciam pela redescoberta. A aventura das mãos explorando corpos, passou a gestos mecânicos de animais no cio.
A cumplicidade, que permitia a profundidade da Partilha, deu lugar ao conhecimento superficial e ao esquecimento rápido.
Hoje não há namoros. “Curte-se”. As facilidades dos encontros, da troca de parceiros, da rapidez da vida, retirou-lhe todo o verdadeiro prazer e a maravilhosa emoção de Amar.


Um Big Kisse Para As Minhas Lindas,
Alma Nova & Kolmi,
Pela Força e Amizade Que Fizeram Deste Blog Uma Realidade...

This entry was posted on and is filed under ,. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

5 Responses to “Relações Descartáveis”

Alma Nova disse...

Estreia em beleza amiga. Jokitas.

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Vim espreitar o teu primeiro dia...
Gostei de saber que ainda vai tendo quem tenha a noção da ausência de sentimento que se vive neste mundo.

Até outro desinstante.

(gosto muito da musica que tens no blog, ainda não percebi de quem é, mas chegarei lá)

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

É... descobri a melodia no Silêncio das tuas palavras.

mitro disse...

Subscrevo

Anónimo disse...

As relações estão assim cada vez mais descartáveis, a palavra da ordem é que o mundo é competitivo, a vida corrida, e exige cada vez respostas mais rápidas das pessoas. Os homens, geralmente competitivos por natureza, acabam tendo essa característica exacerbada. Mulheres hoje trabalham (o que torna o mundo ainda mais competitivo), e como o texto bem disse querem usufruir da liberdade que antes lhes era negada, inclusive de fazer sexo com quem bem quisesse na hora que quisesse. Mas fica exatamente a pergunta: onde fica o amor, o tempo para a descoberta do(a) parceira, de aceitar os defeitos e aprender com eles e com os erros, a vida compartilhada, trabalhada a dois? Se por um lado hoje se tem mais liberdade de deixar uma escolha eventualmente mal feita, também fica difícil também manter uma possível relação duradoura e feliz. A velhice torna-se descartável, o que não for produtivo é descartável. Mas muitos conselhos sábios assim são perdidos e experiências do que valeu a pena viver. Enfim, depende parcialmente de nós não deixarmos que as relações sejam assim tão volúveis.

Marcelo (Pedro Leo)

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *