O Jogo


Hoje decidimos fazer um jogo...
Onde o nosso quarto era o cenário,
E a nossa cama o local escolhido,
O ambiente transformou-se,
Não existem tréguas...
Os nossos corpos são peças,
Onde buscam o prazer inebriante,
Neste jogo interessante,
A astúcia é apurada,
Quero-te derrotar...
Sou a Rainha e tu o Rei,
E neste bailado provocante,
As outras peças não existem...
Neste jogo de emoções fortes,
Só os nossos corpos lutam,
Alternando posições...
Apodero-me da tua " Torre "
Oh! Sublime satisfação,
Mas logo as posições se revertem...
Dominas o meu pequeno peão,
Em recíprocos ataques,
Os nossos corpos são explorados mutuamente,
A concentração não existe mais...
E toda a estratégia é esquecida,
Ambos os jogadores buscam o mesmo,
A satisfação plena, sublime,
Não haverá vencedores...
Nem vencidos...
No ar sente-se o perfume intenso da luxúria,
Fazem-se sentir os primeiros espasmos,
Em breve o " Jogo " terminará,
Explodimos de paixão,
Ouvem-se os gemidos alucinados...
De um orgasmo triunfal.
Como prémio,
O gozo gratificante da vitória mutuamente alcançada.
Com olhares febris,
Esperamos reviver uma nova jogada...
Como duas peças num tabuleiro de xadrês!

This entry was posted on . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

3 Responses to “O Jogo”

Sandokan disse...

Não vivo de pesadelos. Tenho sonhos como qualquer ser humano que procura a luz que nos guia. A vida envia-nos muitos sinais, basta estar atento e procurá-los à nossa volta.São muitos e enviados das mais diversas maneiras. Por isso sou um GUERREIRO LOBO que, mantendo a calma, sabe esperar e nunca ter medo.

Abri há pouco a janela
do meu quarto minguado,
entrou o vento
soprando forte
trazendo uma trova
e uma canção
com um refrão tão triste
que diz
que nunca mais te encontrarei.

Parti como um louco,
gemendo e chorando
e à tua porta bati.
Apareceste-me
bela e singela
com a tua leve candura
na face tinhas a lágrima da
desventura.

Soltei um grito de pânico,
que atravessou o oceano
e num rochedo fez eco
levado pelos anjos
que partiram para sempre.

Grito agudo e
lancinante
que transporto sempre no peito
deixando amargas liras
e a saudade de te ver.
Perdi-te meu AMOR.

Meus amigos e amigas: Aceitai o medo como que ele faça parte integrante das nossas vidas. Aceitai-o, mas não tenhais receio de AMAR. Aceitai especialmente o medo da mudança, mas saibamos caminhar sempre em frente apesar do bater do nosso coração nos lançar um grito lancinante como que a dizer: VOLTA PARA TRÁS!
As trevas da noite caem, mas a manhã volta de novo ainda mais brilhante.
Manteremos viva a nossa ESPERANÇA.

Com especial carinho para ti, dedico este meu poema.

Sou um GUERREIRO LOBO que habita as paragens das caçadas eternas do bosque da felicidade, o "nosso" :

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Vinde até ele ouvir a minha história. É uma história de um Povo, e o Povo é simples como eu.

Deixo-te aqui, neste teu cantinho maravilhoso, um grande abraço de Amizade.

SANDOKAN

Tutank2 disse...

Cheque mate, à Rainha. Tásse bem. Obrigado pela visita. Podemos te linkar de vez em quando?

Juℓi Ribeiro disse...

Belo texto!
Criativo, sensível
e inteligente!
Penso que neste jogo
não há perdedores,
só vitoriosos...

Vim agradecer tua visita.
Será sempre bem vinda!
Um abraço.*Juli*

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *