As Mãos do Amor

Como é bom sentir as mãos do amor...
São suaves e ternas,
De uma leveza extrema,
Passeiam levemente,
Arrepiam os sentidos,
Aguçam o tacto,
Todo o carinho revela-se,
No simples acto,

De acariciar...

Tens esse talento inato,
De palmo a palmo,
A minha cútis tocar,
E com as tuas mãos,
Ao extremo me levar...

Calmo, terno,
Mas...
Pleno e absoluto!
Os teus dedos resolutos,
Navegam sem descanso,
Tateiam atrevidos,
Em busca de novos caminhos.

Ah... as tuas mãos amorosas,
Deixam impressões digitais,
Ficam impressas na minha pele,
Eternamente gravadas,
Para sempre...

Na minha alma apaixonada...

This entry was posted on . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

38 Responses to “As Mãos do Amor”

tirado da mente disse...

OIIII flor...hum estas compeltamente apaixonada ou é apenas impressão minha???lindo o poema...bjinhuxxxx

camila elizio

Gaja Boa 2 disse...

Gostei muito do look do teu blog!!

parabens

Maria disse...

Como é bom sentir as mãos do amor...
Mas um dia a nossa pressa de o possuir ofusca a clareza dos nossos pensamentos. Tudo começa a ficar turvo, a confusão domina a nossa mente quando se troca esse TAL AMOR, pela realidade mais pura que existe, A AMIZADE.
Dela nasce o amor sob diversas formas, para ser saboreado com deleite não para nos fazer MAL.

Kolmi
Maria

A.S. disse...

Mãos que acariciam, afagam, protegem, escondem...
As mãos são pedaços de vida quando percorrem suavemente a pele...


Um doce beijo!

BLOG DO DINHEIRO disse...

Gostei do blog! Parabéns!

luafeiticeira disse...

Olá, parece que isto dos desafios contagiou a blogosfera,como tal deixei-te um desafio no meu blog.
jocas

SILÊNCIO disse...

Que lindo poema ... tao bem descritas essas mãos - gostei muito.
Parabens
Bjsss

Ah e o blog esta muito bonito tb

Erotic Spirit disse...

So well done! Great poem, it captures that unique touch of passion and love perfectly.

Congrats
:)

anne disse...

Como é bom sentir as maõs que tocam, acariciam e arrepiam rs, hummmmmmmm! Como é bom amar. Adorei esse teu doce amar.
Gostei muito também do visual do teu blog, é tão limpo, tão sereno. Beijo meu a ama muito, a vida toda.

Adriano Bichano disse...

Y люблю тебя Милая моя, и как занимаются любовью и с вами

Aju disse...

Vi teu blog no do paulo e resolvi vir lhe visitar mto bom o o poema =] parece repetitivo ta elogiando qdo o devem fazer aki

Bem é isso bjs

Morrigan disse...

Está diferente o teu blog...mas está giro, gostei bastante. E também adorei as tuas palavras. São sensiveis e sensuais...fizeram-me pensar em alguém...Um beijo doce

MiguelGomes disse...

Quaisquer mãos são deliciosas, não são?

Fica bem,
Miguel

Rafaela disse...

ﻶﻉჱﻶﻉ─────────ﻶﻉჱﻶﻉ─────────ﻶﻉჱﻶﻉ

╠════ﻶჱﻶﻶჱﻶﻶჱﻶ════════════╣
╠═ﻶჱﻶﻶჱﻶﻶჱﻶ════════╣

Nunca deixe de abrir uma nova porta
Por ela podem entrar amigos inesperádos
Amores verdadeiros, aventura inesquecíveis
E não se esqueça, de manter a janela bem aberta
Ela trará a vc a esperança de um lindo
AMANHECER!

╠═ﻶჱﻶﻶჱﻶﻶჱﻶ════════╣
╠════ﻶჱﻶﻶჱﻶﻶჱﻶ═══════════╣

Shelyak disse...

Aqui, um reflexo de te sentires melhor comparando com o poema anterior ou foi acaso?
Beijinho para ti...

Ferreira dos Santos disse...

Bonito poema e bonito espaço!
Good Look
Beijinho

gasolina disse...

Silêncio,

Obrigado pela tua passagem, pelas tuas palavras, pelo teu beijo silencioso.
Ainda bem que apareceste pois esse caminho trouxe-me no regresso até ti.
Gosto muito da tua poesia, principalmente esta das "Mãos do amor". As mãos dizem muito, descrevem bailados, deslizam sussurros, entregam o amor.
Um beijo, fica bem.

genius disse...

As mãos um dos nossos melhores instrumentos.
Bom casamento foto c poema.

vida de vidro disse...

Eternamente gravadas. Belo poema! **

Catarina disse...

Palavras muito bonitas *

linfoma_a-escrota disse...

Fomos um para o outro!
Também não faltava mais nada...
Rendi-me a suspiros que esvaziaram vilas de
whisky, transportaste teu mickey mouse por
entre brigas empolgantes sem preSERVAtivo,
dilacerei novocaína e a sucursal periférica
nasceu deveras e em todas as línguas grasnou
a quais perturbadores pontos de exclamação?

Apologias de tribunal emergem entre china white
widow whore e cabelos transfigurados que se adaptam
à metamorfose pela via láctea diluída na trincheira,
a fissão viu caras de marujos como objecção contra
o pasmado pastor das punhetas em pranto,
quando morreres minha alma terá desaparecido,
afastaste-te mas sentir-te perto mastiga o motivo
que resta e encaixota as campânulas ovais em mato
selvagem compenetrado por servir meus medos.

Cheguei a abanar os ombros para levantar vôo
nestas conferências de desintegrados que se
dilaceram no peganhento mel de abóbora encantada,
para reverem as borbulhas escuras e unguentar
com emboras cada boca sedenta de plena impaciência
ao reconquistar a saudade logo antes de te ter olhado.
Fico a dormir no rail de carga da vagoneta que
atravessará outra velada em escuridão trancilvânica,
mais coerente será cozer o crú e desejar a luz única
anunciada por crescimentos acelerados da biologia,
nunca aprendi a tabuada e já raciocinei longe daqui
mas custava-me encontrar-te sem surpresa entre as
palavras e suas letras, desbaratando sobre torpes isqueiros
retirei os prestes pedidos que até me faziam falta,
deixando para nunca advérbios que expliquem isto e
salvem repetições canónicas de odioso prumo afeiçoado.

Nasci no esgoto da feira popular da família atómica,
unicidade implica duplicidade que implica polaridade e
tons próximos revelam todos os piolhos encravados
a serem empalados por seus próprios neurónios, caso
recusem jogar nos matraquilhos da cavala-iguana,
apenas em visita de passagem para apalpar patrocinadores
da Causa, idênticamente disfarçada de mariajoana-ninguém.

Na auto-estrada recreativa podes raptar a bel-prazer
médios traficantes adeptos em representar consequências,
nem a saliva desesperada se cospe pois nada terá subvivido
se nesta última década te lembrares de mim uma vez só.

Anunciei espetar antinomias nas aporias e aposentar-me.

Mas precisaria da drástica reviravolta que deixa de julgar
as colinas, outrora apanágio de fúteis fortunas, condensando
todos os resquícios de ideias sobre gastronomia astronauta.

Talvez seja preferível aprender o que o mundo marginaliza e
sentir-me superior como todos os outros no seu prisma oblongo,
palram sobre predilectas lágrimas derramadas no escritório de
chamuça que aquece novo hímen implantado cirúrgicamente
na abécula secretária substituta das noitadas extraordinárias.

Todos estes dias para te esquecer e nenhuma paixão
pelas mega-modelo fará não te venerar antes de acordar.


in QUIMICOTERAPIA 2004


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

MARIA VALADAS disse...

Um belíssimo poema...de quem está apaixonada!

O amor...é o mais sublime dos sentimentos!

Adorei ler-te!

Bom feriado.

Beijinhos da

Maria

Insaciável disse...

Gostei muito :-)

Beijinhos

Maria José disse...

Recordo apenas, ao ler todas estas palavras, a simplicidade e grandiosidade de sentir o toque de tais mãos...

:)

Travieso disse...

Qubro o silencio co placer de descubrir a beleza. Saudos

Mustafa Şenalp disse...

ÇOK GÜZEL BİR SİTENİZ VAR.

Anónimo disse...

Existem Blogs e outros Blogs. Tenho feito uma visita ao teu, leio o que escreves e fico triste...Tu pertences aos OUTROS BLOGS, és como a música pimba...Retira-se a letra e a base musical é sempre igual, no teu caso mudas umas palavras mas o conteúdo não passa do mesmo, agarra aqui, mete ali, chupa acolá...Enfim que pena, até revelas algum jeito mas por esses caminhos não vais ter uma jornada nada fácil.

By Alma Nova disse...

Todos os talentos nascem quando o sentimento existe e é verdadeiro. O resto, gestos somente, pouco valem...são fugazes e superficiais como a tinta que usamos para cobrir de novo uma superfície já gasta.
Jokitas.

Som Do Silêncio disse...

Ora então vamos lá..
Olá Sr. Anónimo.
Antes do mais nunca considerei o que escrevo banal ou ainda muito menos de tema pimba.
Se acha o meu espaço assim tão pimba, porque continua a visitar-me com assiduidade..
Enfim está a contradizer-se nas suas próprias palavras.
O Blog é meu e eu escrevo o que me bem apetece e me dá na real gana.
Quem gosta comenta, quem não gosta comenta também se assim o desejar.
Se se sente incomodado de alguma forma..
Olhe é fácil, a porta da rua é a serventia da casa!

Um Beijo a todos os que me visitam, e desculpem este meu desabafo, mas tem pessoas que pura e simplesmente me tiram do sério...

rosa dourada/ondina azul disse...

Como é bom sentir as mãos do amor!

Lindo !

Beijo,

Esyath disse...

Silêncio,

o que posso dizer? Apenas que as mãos dos apaixonados devem andar sempre juntos nas estradas do aprendizado.
Belo post!

Bjs Silenciosos e (Des)conexos!;)

Reflexos da Alma disse...

Olá Silencio ;)
Obrigado pela tua passagem e pelas Palavras sempre embuídas de enorme desejo e sedução ;)
Gostei muito deste teu Poema que enaltece o valor das mãos no conceito da Vida e do Amor :)
Um Grande Beijo te deixo minha Linda e votos de um Bom feriado :)

Lord Nuts disse...

Estou à espera que te tentes no meu cantinho.

http://babelfish.altavista.com/

Beijos de um Lord Louco.

A Minha Vida... disse...

Olá! Desta vez vim apenas dizer que apesar de te conhecer recentemente, ja tens direito ao teu nome com um desafio no meu blog, dá uma vista de olhos, se quizeres responde ;)
Beijo Grande*

Daniel Aladiah disse...

Não há silêncio em almas que gritam amor...
Um beijo
Daniel

Angell disse...

O toque de quem se ama é sempre mágico para nós. :)

Bjs!

Tutank2 disse...

Quando um certo alguém desperta um sentimento, é melhor não resistir e se entregar?

impulsos disse...

É... as mãos do amor são assim!
São como remédio milagroso, para uma maleita desesperante...

Um poema inspirado no sentimento nobre do amor e nas mãos que afagam um corpo sequioso desse prazer.

Beijo num impulso

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *