A Morte do Amor



Quero mergulhar num sono profundo,
Chegar ao fim da minha última viagem,
Sem mágoas e sem mais nada sentir,
Somente levar a solidão como última bagagem...

Só assim consigo arrancar do meu peito,
Este amor maldito, cruel...
O meu coração sempre insatisfeito,
Deseja sem poder ter,
O teu amor infinito...

Enxugo dos olhos a derradeira lágrima,
Sulca a minha face já tão amarga,
Já sem saber mais sorrir ou fingir...
Levaste contigo toda a minha alegria...

Esta será a minha eterna e longa agonia,
Tentar arrancar da minha alma,
Os espinhos profundamente,
Dolorosamente cravados do teu amor,
Sem qualquer tipo de anestésico.

Sinto a dôr rasgar o meu coração,
Ouço os estilhaços da minha alma despedaçada,
Que caem funebres a meus pés...
Lembranças de agora,
De tempos já vividos...

E tu?!
Qual será a tua reacção?
Ficarás simplesmente impávido,
Indiferente ao meu sofrimento!
À minha eterna agonia.

Não terás qualquer tipo de piedade,
De sentimento...
Apenas me apagarás da tua memória...
Como se de um livro se tratasse,
E mais uma página se virasse...

Onde eu estiver,
Vou continuar a amar-te loucamente,
Eternamente...
Mesmo quando me transformar num ser etereo...

Assombrando a tua existência,
Com o meu já falecido amor...

This entry was posted on . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

11 Responses to “A Morte do Amor”

gasolina disse...

Som do S,

Forte. Dramático. Gótico. Nocturno.
Mas nunca a morte do amor.
Quanto muito a morte "deste" amor.

Beijo, fica bem.

Um Momento... disse...

Quebro o silêncio para te pedir que passes por um Momento na minha húmilde "casa"
Voltarei para comentar o teu post ( que já li um pouco )
Beijo neste e deste Momento
Até já :)

Pedro Jorge Moreira da Silva disse...

Que um dia a Felicidade venha a teu encontro pois quem assim escreve toda a felicidade merece

Um Momento... disse...

Senti a dor,a amargura...a tristeza nas tuas palavras
Mas também a paixão , a emoção a garra em que em tais palavras te afundas...
Como diz a gasolina, poderá ser a morte de um amor, mas jamais a morte do AMOR
Beijo
por este tão doloroso e dramático Momento
Até mais ler

Maria José disse...

Um retrato de dor...

Dark-me disse...

Mto profundo, triste mas lindo!
Não tivesse a tristeza a sua própria beleza!! :)

O verdadeiro amor é assim mesmo...eterno!

Dark kiss

madrugada disse...

Melancolia sublime
projectada neste brilhante texto.

Fúria das Águas disse...

MInha querida amiga, que este amor morra, mas que encontres outro com todo seu merecimento, que te dê o amor infinito, que ele mereça cada palavra tua.
Fica bem menina
Beijos
Furia

Miguel disse...

Tens uma surpresa no meu espaço.

Beijos Soltos e Sonoros.

Op.Louca disse...

Bastante sentido o texto. Mas o Amor nunca morre...existirá sempre algo que não mais esquecerás, mesmo quando os maus momentos nos fazem sofrer isso acontece, muito pelo contrário, ajudam-nos a ver as coisas de uma outra forma.

Beijinho terno em ti : )

A.S. disse...

Palavras intensas como o amor que brota do teu peito e sentes com olhar de lágrimas!
Todos os dias o sol nos mostra novos horizontes... nada na vida é definitivo minha querida! Nem o amor!


Um terno beijo...

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *