Um Passeio à Chuva I


Era quase noite, eu inquieta vagueava pela casa sem saber mais que fazer...
Lá fora a chuva caía suave mas metódica, decidi que ia dar uma volta para arrefecer os animos...
Entrei dentro do meu carro e eis que a estrada me levou até a uma praia um tanto ou quanto afastada da rota comum...
Qual não foi a minha surpresa ao vêr um carro já lá estacionado...
Sem dar muita importância a esse facto, decidi que ninguém ia atrapalhar o meu passeio...
Mal sai do carro os suaves pingos tocaram o meu rosto, molhando-o devagar, escorregaram em direcção ao meu pescoço, as gotas atrevidas pelo vale dos seios deslizaram, senti o seu toque erótico, estremeci...
Senti o vestido fino a colar-se ao meu corpo tal qual uma segunda pele...
Rumei em direcção a praia, tirei as sandálias e senti o toque frio e molhado da areia, fui até a beira da água molhar os pés, de repente, sinto um arrepio, olha para o lado e não vejo ninguém...
Uma voz grave sussurra-me ao ouvido...
Não sou só eu que gosto de chuva...
Meia assustada viro-me repentinamente e esbarro com um corpo sólido, em meio a braços e pernas caimos ambos na areia.
Receosamente, olhei para o dono da voz que me tinha assustado, encontrava-se indecentemente entre as minhas pernas...
A minha voz tremeu quando sussurrei... Não... Não és o único que gosta de chuva...
O olhar dele desceu dos meus olhos, mirou os meus lábios abertos, que sofregamente tentavam abarcar algum ar. O olhar tornou-se ardente quando ao vale dos meus seios chegou, os mamilos estavam erectos, pequenos botões rosados, pediam quase para serem beijados...
Com um fio de voz pedi-lhe timidamente, se me deixava levantar...
Ele respondeu... claro que sim minha pequena flôr.
Na pressa de me levantar as ancas fui levantar....
Qual não foi a minha supresa... o meu deleite...
Quando senti o seu membro duro... contra o meu sexo que começou a latejar...
O demónio apoderou-se do meu corpo... nunca tinha feito amor com um desconhecido...
Olhei-o nos olhos e perguntei-lhe descaradamente...
Queres brincar um pouco comigo? Os olhos dele flamejaram...
Não respondeu...
Simplesmente colou os lábios húmidos pela chuva e pelo desejo aos meus...
Senti o toque ardente de línguas que se tocavam, que duelavam entre si, querendo as duas sair vencedoras...
Afaguei os seus cabelos molhados, passei as mãos pelas costas encharcadas pela chuva que caía sem piedade nos corpos que buscavam a mútua saciedade...
As mãos atrevidas continuei a deslizar... até às nadegas ir parar, estavam rijas, tensas de excitação... senti que empurrava suavemente o seu corpo contra o meu... num roçar erótico e sensual de tecidos molhados...
Senti o sangue correr célere pelas minhas veias, queria mais... muito mais...
Queria tudo o que aquele homem me quisesse, me pudesse dar...
Descolei os lábios da boca quente e saborosa dele... arfei de desejo...
Ele olhou-me expectante, na dúvida se eu queria parar...
Num gemido sussurrei... quero muito sentir-te inteiro...
Toca-me... sente-me inteira... quero que me devores...
Senti as mãos atrevidas a percorrer a lateral do meu corpo, chegaram aos meus ombros, e puxaram delicadamente o tecido molhado... colado à minha pele.
Os olhos reluziram como diamantes quando os meus mamilos vislumbraram...
Estavam túrgidos, pela água.. pela excitação... inclinou a cabeça e lambeu suavemente as gotas que escorriam gulosas pelos meus seios... soltei um gemido baixinho de puro delírio ao sentir o seu hálito quente no meu mamilo rosado, primeiro lambeu suavemente, depois abocanhou-o inteiro, senti o calor da sua boca que se fechou ao redor dele... sugou-o devagar, saboreou-o tal qual um morango maduro... quando pensei que ia enlouquecer ele tirou a boca...
As roupas eram já um obstáculo, um estorvo entre os nossos corpos ardentes...
Entre movimentos desconexos tirou-me o vestido para em cima dele me deitar, puxou os calções e o polo com a pressa que só a tesão é capaz...
Finalmente vi-o nú... era magnifico, o seu pénis apontava na minha direcção desafiante...


Continua...

This entry was posted on . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

24 Responses to “Um Passeio à Chuva I”

Um Momento... disse...

Minha querida...
Ufaaaaaa...
Acho que vou apanhar um pouco da chuva que cai lá fora:)))
Está ...potente!!!
Espero ansiosamente o próximo capitúlo
Uma noite serena :)))))
( gosto de te ler assim...com toda essa garra e emoção á flor da pele:D)
Beijo no teu Coração(*)

Ps: as cores que escolheste...para ir pintando a paisagem...Parabéns :))))))

luafeiticeira disse...

Isto promete e é pelo erotismo dos teus textos que te atribui um prémio no meu blog
e com tomates
jocas

Vity disse...

Hummm

Fico ansiosa por ler mais ...
Ate aqui estou a adorar ... a surpresa ... o desconhecido ... excita-me tanto!!!

Boa semana
Beijo
Vity

Lu@r disse...

Muito Interessante...Espero o próximo episódio.

:)

Beijo doce

FC disse...

Que venha a parte dois...

Ganhaste um leitor

;)

Miosotis disse...

A ânsia do desconhecido...
O erotismo da chuva, do mar...
A explosão de desejos latentes...
Parabéns!!!
Gostei de te ler. Que venha a parte II.
Beijos embrulhados em pétalas de miosótis

Monólogos.by.Paula disse...

A sensualidade e o erotismo que tranborda deste teu magnífico texto, deixaram-me...

Passa no meu cantinho, tenho um miminho que gostava que aceitasses.

Jinhos

Borboleta disse...

Bem amiga agora estou ansiosa...
**beijinhos**

Papoila disse...

Som do silêncio!
Fico à espera da continuação. Gostei da tua história erótica, sensual e envolvente.
Muito bom!
Beijos

Sandokan disse...

Preciso de chuva, muita chuva. A chuva convida ao AMOR!

MENTES MENTIROSAS
no http://lusoprosecontras.blogspot.com

A felicidade é um perfume com que não podemos aspergir os outros sem que caiam algumas gotas em nós mesmos. De que serve viver senão tornarmos a vida menos difícil aos outros?

Reflexos da Alma disse...

Olá Silencio !

Bela imagem !!!

Bela viagem ... as loucuras fazem falta e sabem tão bem ;)

Beijos e boa semana !!

Lya disse...

Sensualissimo!

mágica a história!

obrigada pela tua visita ao meu blog.
voltarei pra ler o capitulo seguinte

beijos

João Cordeiro disse...

Belo como sempre...

Querida amiga obrigada pelo carinho demonstrado.
O meu pai já se encontra em casa.
Passei e estou a passar uma fase muito complicada da minha vida.
Embora julgue que a amizade não se agradece, o meu reconhecimento.

Espirito da Lua disse...

Gostei,,,esta muito giro;)

Bj Lua

Op.Louca disse...

Ena....que a " nossa menina" desta vez, caprichou...
Fico a aguardar pela segunda parte, deste magnifico conto erótico : )

Beijinhos

P-S: ( Será mesmo conto ou ...??!!?? ) ;)

gasolina disse...

Som do S.

!!!

Que diferença em 24h!

Onde está o poema sentido e frágil? Deve ter-se escoado por esta praia de areia picada a chuva!

Fico contente que te estejas a reconstruír! Ah! Valente!

Beijinho!

Maria José disse...

Deixar fluir nas palavras os contornos do desejo... :)

Dias... disse...

Uau, senti.

Continua, gostei imenso.

Beijo, espera... é melhor um aperto de mão.

serenidade disse...

Mas que passeio:):):).... esperamos a continuação, ou melhor, eu espero...

Serenos sorrisos

Crónica disse...

Aiiii
amei
sério
senti.me como se estivesse a ver o momento
amei memo!
To a espera da continuação...
voltarei
JInhuz Crónicos

tirado da mente disse...

oiiii querida...hum então vamos se conhecer lá no inferno intão..por q eu axo q naum tenho mais salvação...

bjinhuxxxxx

Textos e Textos disse...

Ai, ai! faz-me lembrar os meus livros de amor que eu8 gosto tanto de ler.


Beijo

Afronauta disse...

Não terá sido na praia da Torreira?...
É um excelente exercício ler-te: estimula a imaginação, aumenta a sensualidade e faz-me pensar que parte será verdade e qual a que é pura ficção! De uma coisa estou certo: quem escreve assim já realizou algums das suas mais loucas fantasias...ou está desejosa por realizar!

Menina do Rio disse...

Ai meu Deus, preciso sair a praia numa noite de chuva dessas...

beijos

Com tecnologia do Blogger.

Popular Posts

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *